Harry Potter, Senhor dos Anéis, Eragon, Crepúsculo, Avatar, medievalismo e misticismo fim de uma saga ou resgate de uma era?

E finalmente a saga de Harry Potter chega ao fim. É impressionante o número de seguidores que essa série conseguiu angariar. Inegável que, antes de virar filme, conquistou uma verdadeira legião de leitores que avidamente seguiam as aventuras do jovem bruxo. O que chama a atenção em todos os grandes best-sellers dos últimos dez anos é que todos eles remetem, em maior ou menor grau ao período medieval. Harry e sua escola, com arcos góticos, com a predominância da cor escura, a magia, o fantástico, cavaleiros, vassouras que voam, objetos encantados, poções, monstros de três cabeças, cavaleiros sem cabeça, gnomos, espadas etc. Sem falar nas inúmeras expressões em latim que estão na boca dos fãs da saga. Parece uma grande referência ao período barroco com toda a sua rebuscada arquitetura e ao seu misticismo. De qualquer forma, não podemos tirar o mérito de J. K. Rowling que em 10 anos conseguiu um verdadeiro feito como escritora atingindo status de mega star, e isto ainda em vida e escrevendo ficção. Algo de fato notável. Alia-se a isto a série de filmes que praticamente levaram Harry Potter a um grau de popularidade incrível, principalmente para os grupos de adolescentes e jovens-adultos que basicamente cresceram junto com a série e nutrem com ela com um carinho especial.

O trabalho lexical da série merece um atenção especial com seus neologismos, suas expressões em latins que viram magias, mas que acabam por enriquecer indireta ou diretamente o vocabulário de seus leitores, ressuscitando ou pelo menos chamando a atenção para léxicos e suas etimologias até então esquecidas ou despercebidas.

A série “O senhor dos anéis” também se assemelha em muitos aspectos à de Harry Potter no quesito de cenário: castelos, cavaleiros, objetos mágicos, gigantes, anões, dicotomia bem e mal, cavaleiros sem cabeça, castelos, predominância do tom escuro. Fez muito menos sucesso do que Harry Potter, talvez por corresponder a uma faixa etária um pouco mais velha, pois os livros foram lançados bem antes dos filmes, o que não aconteceu com a série de Harry, talvez por isso haja uma maior diversidade de idade dos fãs dessa série. De qualquer forma, nessa série está o medievalismo presente.

Isso sem mencionar ERAGON. Dragões, espadas, vestimentas, arcos e flechas e donzelas em perigo.

Agora vamos à grande coqueluche dos adolescentes: CREPÚSCULO. É ou não é medieval? Chove o tempo todo. Vampiros, lobisomens, magias etc. Mas é claro, com um roupagem mais moderna: “é anáfase”…enfim. Foi também um grande sucesso. De qualquer forma, o que espanta é o fato de os maiores sucessos de bilheteria, no início do século XXI, era da informação, datecnologia, da internet etc, não fazerem referência alguma à tecnologia. Não acho bom, nem ruim. É só uma constatação. Uma retomada das coisas simples, sem a complicação da nossa vida com toda a intrincada rede que nos cerca e talvez isso seja um indício de que saturamos em certos aspectos e queremos desplugar um pouco de vez em quando. O último filme que gostaria de comentar é AVATAR. Tecnologia no limite, mas a moral da história qual é?

Prefere-se a vida em comunhão com a natureza, com o simples, não com a tecnologia. É de se pensar, não? Comentários são bem-vindos. Cheers.

About ricardonagy

Bacharel Direito PUC-SP. Pós-graduando em Direito Civil pela EPM-TJSP. Bacharel e Licenciado Letras inglês/português USP. Pós-graduado em Tecnologias Interativas Aplicadas à Educação PUC-SP.
This entry was posted in curiosidades and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

6 Responses to Harry Potter, Senhor dos Anéis, Eragon, Crepúsculo, Avatar, medievalismo e misticismo fim de uma saga ou resgate de uma era?

  1. A impressão que eu tenho é a de que esses filmes são tão, aparentemente, contrários ao que vivemos que acaba encantando. Mas, acho que por trás de tudo, eles não são tão contrários assim… Talvez por falar de sentimentos que todos nós sentimos e vivenciamos: medo, preconceitos, exclusão, a busca por algo, mentiras… Harry Potter, Eragon e Bella parecem familiares porque eles são adolescentes que estão descobrindo um novo mundo, novos amores, hormônios, referência ao estudo e à escola, às panelinhas, bullying, etc e etc… Todas características necessárias pra trazer familiaridade aos que estão vivenciando isso e aos que já vivenciaram. Fora a magia… A saga Eragon, eu li os três livros, mas o autor disse que havia mudado a trilogia pra quatro livros (qual o nome disso?) e agora estou na espera… kkkk.

    Bom post, Nagy,
    Abraços.

  2. bom prof acho que quantos a Harry Potter, Senhor dos aneis e Eragon temos muito mesmo de medievalismo e miticismo mesmo mas em avatar nem tanto do medievalismo como nos outros citado anteriormente; e uma coisa que diferencia avatar dos outros é que este não possui livro feito antes para o diretor se basear e no caso de crepusculo sinceramente a autora (com todo o respeito) é muito burra pois ela criou coisas que ja existem, na ficção mas existem, e mudou muito da personalidade dessas criaturas e com isso ela perdeu muito (onde ja se vui vampiro brilhar em vez de morrer ao sol) são coisas que as pessoas ja estão acostumadas a saberem que supostamente acontecem nessas circuntamcias então o miticismo fica zuado

    abrss prof. até agosto
    social media revolution

  3. Caroline Micaelia says:

    Muito bom o post, Nagy!
    Tenho orgulho de ter tido um professor que respeita os Best-Sellers e não fica só no “mimimi” dos textos acadêmicos e dos clássicos da literatura. E acho que mais do que isso, reconhece a contribuição desses livros (especialmente de Harry) para uma população que lia pouco e que passou a ler um pouco mais depois dessas histórias.
    Talvez devido a isso essas séries tenham mais valor sentimental do que outros livros. Eu, por exemplo, aprendi a gostar de ler com Harry Potter. Foi o primeiro livro que realmente li na vida.

    Acho que as contribuições são muitas – em muitos campos, vindas de todas essas séries – e as pessoas não as reconhecem, especialmente meus colegas letristas e alguns professores. Uma pena.

    Enfim… Belíssimo post, Nagy! Mesmo!
    Beijão!

  4. Exemplificando: no segundo filme de O Senho dos Anéis, o vilão, Saruman, que no filme representa o papel de um industrialista, e derrotado pela floresta. Sim, a floresta anda e quebra tudo lá. O problema é que Senhor dos Anéis foi escrito a muito mais tempo que esses livros atuais para figurar na mesma lista de “best-sellers”. Contudo, a ideia é a mesma.

  5. Feanor says:

    So discordo da parte em que o senhor dos aneis fez menso sucesso do que harry potter… ta certo que so teve 3 filmes mais os filmes do senhor dos aneis arrecadaram mas dinheiro do que 5 do harry potter.. sem falar que ele tem uma legiao de fas mais madura e mais antiga, Senhor dos aneis tambem tem mt mais jogos,rpg,rts e MMORPGS,teve muito mais impacto na fantasia tanto que sem ele harry potter nem existiria sem falar dos livros que venderam bem mais que hp…. Teve menos filmes teve mas nem por isso fez menos sucesso, Ganhou 17 oscar coisa que nem em 20 filmes de star wars conseguira imagine harry potter..

  6. Felipe says:

    Harry Potter é maravilhoso e para min é a melhor saga de todos os tempos e sempre será e HARRY POTTER E AS RELIQUIAS DA MORTE PARTE 2 é o melhor filme de todos os tempos PARA MIN e para muita gente tb

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s